Imprimir esta página
domingo, 15 setembro 2019 11:11

Plano de ação para melhorar a valorização da carne dos Açores concluído até ao final do ano, revela João Ponte

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas anunciou que ficará concluído até ao final do ano um plano de ação que contempla um estudo de mercado da Carne dos Açores e uma reflexão estratégica sobre as formas de potenciar a valorização do produto, de modo a contribuir para a definição de melhores políticas públicas e consequente aumento do rendimento dos produtores açorianos.

 

“Este plano de ação, que está a ser desenvolvido pelo Centro de Estratégia Regional para a Carne dos Açores (CERCA), irá definir um conjunto de propostas concretas para melhorar a valorização da carne açoriana”, referiu João Ponte, que falava sábado à margem da visita a uma empresa dedicada à recria, engorda, abate e comércio de carne de bovino, na ilha Terceira.

 

O governante destacou que este plano de ação vai ter em conta a auscultação dos principais ‘stakeholders’ do setor e será um instrumento de trabalho essencial para continuar a desenvolver uma fileira que representa um grande potencial económico e que tem a virtude de ser desenvolvido por um organismo que tem na sua génese parceiros da área da produção e da comercialização.

 

  

“Este plano de ação, a par do trabalho e da estratégia que tem vindo a ser implementada ao nível da modernização, da aposta na genética, no bem-estar animal e na qualificação da carne, são aspetos de grande relevo e que muito irão contribuir para enfrentar a eventual concorrência da carne do Mercosul em Portugal”, realçou João Ponte.

 

“Aquilo que tem sido feito na Região, e que queremos aperfeiçoar no futuro, é trabalhar pelo aumento do rendimento dos produtores e pelo desenvolvimento da fileira da carne e, para isso, só poderemos ter sucesso com um compromisso com a qualidade e a diferenciação”, frisou.

 

O Secretário Regional destacou ainda que, apesar do grande crescimento da produção de carne de bovino nos Açores registado entre 2015 e 2018, onde a expedição de carcaças para fora da Região registou um crescimento de 30%, a verdade é que nos primeiros oito meses deste ano, continua a verificar-se um crescimento de 7,2% na expedição de carcaças e de 2% no total de abates.

 

Para o governante, estes indicadores confirmam o dinamismo do mercado da carne de bovino nos Açores e traduzem-se em mais rendimento, mais desenvolvimento económico e rentabilização do investimento público realizado na modernização da rede regional de abate.

 

Relativamente à empresa que visitou, a Resulbrave, João Ponte considerou tratar-se de um bom exemplo regional, pelo progresso que tem feito e pela aposta que está a fazer na internacionalização.

 

Criada em 2007, esta empresa é responsável pela engorda e abate de cerca de 600 animais por ano, faz também a expedição de animais vivos para a Madeira e já encetou o processo de internacionalização, com a exportação de carcaças para Espanha.

 

Por outro lado, está em fase de licenciamento para ser auto produtora no fabrico de alimentos compostos para animais, ou seja, passar a fazer a sua própria ração, contribuindo para a redução de custos de produção.

Informação Adicional

  • Fonte: Gacs

Itens relacionados