Imprimir esta página
sexta, 05 julho 2019 09:13

Festival de arte Walk & Talk arranca hoje em São Miguel

São Miguel acolhe, entre hoje e dia 20 de julho, o Festival Walk & Talk. Esta 9.ª edição conta com 80 artistas, coletivos e curadores.

Circuito de ilha; de exposições, performativo, de conhecimento e de residências artísticas são os cinco circuitos que fazem parte da edição 2019 do festival. 

 

Jesse James, diretor artístico da iniciativa, em entrevista, à Atlântida, destacou alguns eventos. 

 

  

 “Sem dúvida a questão do circuito das exposições que, este ano, tem curadoria do Sérgio Fazenda Rodrigues que é um curador que tem trabalhado, também, com alguns artistas que apresentam este ano e que vai reunir sete exposições que estão espalhadas pela cidade de Ponta Delgada”, adiantou Jesse James. O responsável acrescentou que “também acho importante o ‘circuito ilha’, que é uma coisa que está no centro e na base de como vemos o ‘Walk & Talk’, em que no início era muito associado aos murais de ocupação pública, mas que, hoje em dia, ocupa muitas formas e outros lugares”, revelando que aquele circuito “tem curadoria de um coletivo multidisciplinar, com sede em Londres, que trabalha muito as questões da arte e da sua relação com a sustentabilidade e com o ambiente”. 

 

O responsável salientou, também, as diversas performances que vão acontecer ao longo das duas semanas de certame, referindo que houve um “investimento” nesta área, não só “no programa de música, mas, também, dos espetáculos de dança e de performance, realçando o espetáculo de abertura, intitulado “At the Still Point of The Turning World”, um projeto que “cruza piano, música clássica com música eletrónica e vídeo”. Várias performances vão decorrer ao longo do festival, no pavilhão do evento, que ficará, novamente, localizado no Largo de São João, em Ponta Delgada. 

 

O pavilhão que este ano foi inspirado no capote e capelo.

 

 “Este ano decidimos fazer um curso de arquitetura para o pavilhão Walk & Talk, onde foi lançado o desafio a 20 ateliers. Desses selecionamos três finalistas que apresentaram uma proposta para o que poderia ser a ‘casa’ do festival”, revelou o responsável, acrescentando que nesta edição “ganhou, como seleção do júri, o projeto do Artwork & GA Studio, que é um pavilhão que se inspira, de alguma forma, no capote e capelo, na forma como ele se constrói e se apresenta”. 

 

Quanto à “Summer School”, “um dos projetos centrais do programa de conhecimento”, Jesse James refere que tem por base os domínios da “educação e da formação”, adiantando que tiram partido dos “artistas, curadores e especialistas do festival para criarem aulas, onde apresentam e discutem conteúdos com alunos da ‘Summer School’”. 

 

A 9.ª edição do Walk & Talk decorre a partir de hoje e prolonga-se até 20 de julho, em São Miguel. 

 

Informação Adicional

  • Fonte: Rádio Atlântida

Itens relacionados